Home > Dicas > Com tanta chuva, vamos de Rafting?

Com tanta chuva, vamos de Rafting?

Descer o rio em botes infláveis é o que faz do Rafting um bom esporte radical

Com tanta chuva, vamos de Rafting? - Disposição

Continuando nossa saga pelos esportes radicais como opção de aventura nas férias, nada mais justo e apropriado do que abraçarmos nosso caiaque e nossos botes infláveis e encararmos um rio alucinante.

Para os que ainda não conhecem, rafting consiste na descida de rios em botes infláveis. Os integrantes da embarcação remam sob o comando de um instrutor, responsável pela orientação do grupo durante o percurso.

A prática do rafting implica conceitos muito importantes no relacionamento entre as pessoas, como solidariedade, união, liderança, trabalho em equipe e percepção sensorial.

No século XIX, em Colorado – EUA, o primeiro registro da prática do rafting surgiu por meio de uma expedição organizada por John Wesley Powel, que com um barco de madeira com remos centrais encarou um rio onde passou por várias turbulências, como batidas em pedras e viradas no rio. Somente mais tarde, no ano de 1936 surgiram os botes infláveis.

No Brasil, o rafting chegou recentemente, no ano de 1982 com a finalidade de atender exclusivamente aos turistas estrangeiros que passavam férias no Rio de Janeiro.

Somente nos anos 90 é que o esporte se difundiu por aqui, ganhando força com a criação de centros específicos de canoagem. Atualmente estima-se que existam cerca de 50 centros de operadoras de rafting no Brasil.

E aí, vai encarar? Tenho certeza de que todos irão gostar. Procure parques que ofereçam esta opção de esporte e certifique-se de que o instrutor seja um profissional qualificado e conhecedor do esporte, respeitando os limites de segurança de todos. Vá em frente, encare mais esta!

Flávio Canova
Graduado como bacharel em Educação Física pela UEM e pós-graduado em Atividade Física para a Saúde e Trenamento pelo Cesumar.
http://www.flaviocanova.com