Home > Dicas > Lesões na natação

Lesões na natação

A repetição de movimentos nos treinos inadequados podem ser os causadores das lesões na natação

Lesões na natação - Disposição

Por ser um esporte em que não há contato físico entre os competidores e de provas de curto tempo, relativamente, a natação muitas vezes passa a impressão de ser um esporte “inocente”, sem lesões. Mas será isso mesmo?

Como em qualquer modalidade esportiva, o desempenho do atleta da natação esta proporcionalmente relacionado ao seu treino. Quanto maior a dedicação, maior a perfeição dos movimentos e assim, o máximo de sua performance será alcançado.  Porém, existe associado a isto, os curtos períodos de intervalo entre os treinos e, muitas vezes, a não aplicação de medidas de prevenção a lesões.

Então vocês têm idéia de qual articulação é mais afetada na natação?

Quem pensou no ombro, acertou! Principalmente pelo intenso uso desta região nos nados crawl, costas e borboleta, há o que chamamos de overuse, caracterizando um conjunto de sinais e sintomas que definem a síndrome do ombro doloroso do nadador. Esta síndrome causa inflamação dos tendões, dos músculos supra espinhoso e da porção longa do bíceps braquial, porém o ombro pode ainda ser afetado por uma bursite ou pela síndrome do impacto, por exemplo.

Diversos são os fatores que contribuem para o aparecimento das lesões. Além da sobrecarga de treino e curto repouso que já citamos, temos o desequilíbrio entre força e flexibilidade muscular, realização de movimentos de ombro acima de 90°,  incorreta técnica de nado e disfunção articular. Um outro fator importantíssimo é a repetição de movimentos. Só para termos uma idéia, um nadador que treine 5000 metros por dia, estará realizando cerca de 2000 ciclos de braços por treino. Bastante, não?

Outros locais que também sofrem lesões na natação são os cotovelos e joelhos, sendo que as costas, com quadros de lombalgias e cervicalgias, também são frequentemente afetadas.

E como previnir as lesões da natação? Com um programa de treino adequado, que envolva as técnicas corretas, que incentive uma respiração bilateral, que tenha períodos adequados de repouso e  treino, com fortalecimento e alongamento muscular em equilíbrio, sempre respeitando os limites fisiológicos de cada atleta.